Crítica: "O Escravo de Capela" de Marcos DeBrito


Título: O Escravo de Capela
Autor: Marcos DeBrito
Ano: 2017
Editora: Faro Editorial
Número de páginas: 288
CompreSaraivaAmazon

Sinopse: "Durante a cruel época escravocrata do Brasil Colônia, histórias aterrorizantes baseadas em crenças africanas e portuguesas deram origem a algumas das lendas mais populares de nosso folclore. Com o passar dos séculos, o horror de mitos assustadores foi sendo substituído por versões mais brandas. Em “O Escravo de Capela”, uma de nossas fábulas foi recriada desde a origem. Partindo de registros históricos para reconstruir sua mitologia de forma adulta, o autor criou uma narrativa tenebrosa de vingança com elementos mais reais e perversos. Aqui, o capuz avermelhado, sua marca mais conhecida, é deixado de lado para que o rosto de um escravo-cadáver seja encoberto pelo sudário ensanguentado de sua morte. Uma obra para reencontrar o medo perdido da lenda original e ver ressurgir um mito nacional de forma mais assustadora, em uma trama mórbida repleta de surpresas e reviravoltas."

Crítica: Boa Noite pessoal, sei que podem estar lendo essa resenha durante o dia, mas por incrível que pareça só consegui ter uma luz para escrevê-la após a meia noite, a hora fatídica para um livro de terror. Sim pessoal, hoje vamos falar de terror. Passei o dia todo querendo escrever, mas juro para vocês que não consegui, deve ser influência do Sabola.

Abrindo com chave de Ouro a parceria com a Faro Editorial, trago para vocês “O Escravo de Capela”.



Então, o livro conta a história da família Cunha Vasconcelos no ano 1792, com a plantação de Cana de Açúcar, antes da ascensão do café, na fazenda de Capela.

Sabola é um escravo recém-chegado na Capela, que não conhece as regras e é açoitado logo no seu primeiro dia, mas ele não é um escravo comum e não abaixa a cabeça, após se recuperar do açoite ele conhece na senzala Akili, que irá ensiná-lo a fugir da Capela levando ao seu fim fatídico. Não gente a morte do Sabola não é um Spoiler, pois quando se tem na capa a frase: Quando a morte é apenas o começo para algo assustador, o mínimo que se imagina é que: sim ele vai morrer.

A família da casa Grande é composta por Batista o senhor do engenho, o filho mais velho Antônio, o que cuida dos escravos e Inácio o filho mais novo que foi para Portugal estudar medicina e agora está de volta. Também na casa grande temos as escravas, Conceição, Jussara e Damiana.

Apesar do grande preconceito enraizado em Batista e Antônio, podemos dividir os dois em duas categorias, o primeiro foi criado assim, aprendeu com a sua cultura e, infelizmente, não tem muita abertura para mudança, já o segundo é mal mesmo, sem salvação.

Já Inácio puxou a mãe, Maria de Lourdes que até então abandonou a Fazenda de Capela, não tendo preconceitos e achando injusto como tudo ocorre, mas sem tomar atitudes para mudar, pois teria que ir contra seu pai e seu irmão. Além de se apaixonar perdidamente por Damiana.

Não me estendendo muito na história, o livro remete a dois clássicos do nosso folclore, que ao começar a ler você já consegue imaginar quais seriam, e é reescrito de uma forma tão interessante que você não vai querer largar.

Bom, comecei a ler o livro e percebi que o autor utiliza de uma linguagem bem atual apesar de se passar num período colonial, o que me incomodou no início, aí eu me perguntei: “Rafaella, mas se ele usasse uma linguagem mais clássica você leria com a mesma facilidade?” e eu me respondi: “Não, acho que nem leria.” Então resolvi deixar para lá essa minha chatice e fiz a leitura.

Foi a melhor coisa que fiz, pois realmente valeu a pena. O Marcos DeBrito conseguiu me fazer sentir em um pouco mais de 280 páginas tantos sentimentos. Senti dor, pena, raiva, me diverti com a vingança, me apaixonei por Inácio, torci pelo amor proibido de Inácio e Damiana, amei Sabola, torci para o Sabola aprontar mais, senti medo do Sabola, descobri segredos muito antes de ser revelados, chamei o Inácio de burro por não ver o que já tinha visto, entre outros sentimentos que me aproximaram mais e mais do livro.

Não consegui odiar nenhum personagem, até Antônio que era Mal de verdade. No fim do livro ele explica bastante o que aconteceu na história (e confirmou minhas teorias, uhulll). Foi um livro que vivenciei, nada mais que maravilhoso poder ter o privilégio de ler uma história assim, entrou para uns dos meus favoritos.

Espero que leiam e sintam tudo que senti, e venham conversar comigo, preciso de discutir algumas coisas desse livro. Bjus até a próxima, Rafa.



28 comentários:

  1. Olá
    Adorei poder conferir a resenha e fiquei bem curiosa quanto ao desenvolvimento. Sobre o estilo da escrita, eu também pensaria sobrr a linguagem mesmo, mas por um lado sei que nossa compreensão é bem maior. Eu ainda nao tinha lido nada a respeito desse título, mas gostaria de poder conferir sim. Obrigada pela indicação!
    Beijos, F

    ResponderExcluir
  2. Oie, tudo bom?
    Eu não curto muuuito livros de terror, gosto de thriller psicológico mas depois fico pensando tanto sobre... Quando li "Caixa de Passaros" não conseguia parar de pensar no desfecho, rs. Mas por ser uma recontagem de Folclore brasileiro, me chamou muito a atenção! Quero ♥

    ResponderExcluir
  3. Olha,máximo!

    Livros de terror não são o meu gênero favorito. Porém, sou aberto a tudo. E esse eu leria com amor,pois acho incrível autores que conseguem mesclar coisas importantes - como a fomentação da cultura brasileira - com uma ficção bem tecida, como eu disse, independente do gênero.

    E sua resenha mto bem escrita. Arrasou!

    ResponderExcluir
  4. Oi rafa, ai que desespero em ler um livro bom e não ter com quem conversar sobre ele. Ainda não conhecia esta obra e fiquei bem curiosa. Espero poder ler o mais rápido possível.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Olá!

    Li algumas resenhas desse livro, mas não tenho coragem de enfrentar a obra, é forte demais pra mim e não tenho estômago pra tanta crueldade. Parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
  6. Uau, quero sentir tudo isso haha! Sua resenha está maravilhosa, eu já estava curiosa para ler essa história e a agora fiquei mais ainda após ler a sua resenha. Essa edição está lindíssima, e o enredo parece ser muito interessante, e ao mesmo tempo envolvente e sinistro. Obrigada pela dica, bjss!

    ResponderExcluir
  7. Puxa, Rafa!

    Que história interessante! Uma mistura de terror com romance histórico (desculpe se digo alguma asneira... kkkk), mas pelo fato de se passar na época da escravidão e abordar temas como a plantação de cana-de- açúcar, tão conhecida dos nossos estudos de Brasil colônia. O terror é um ingrediente novo e parece ser muito bem construído na trama. Anotadíssimo! Fiquei curiosa. Muito boa a resenha! Abraços,
    Drica.

    ResponderExcluir
  8. Ola Rafa lindona, confesso que terror me faz sair de minha zona de conforto, não conhecia o livro achei bem interessante a premissa, e confesso que o autor ter usado a linguagem atual deixa a leitura fluir melhor mesmo. Dica anotada. beijos

    Joyce
    Livros Encantos

    ResponderExcluir
  9. Olá! Terror realmente não é o meu forte, mas eu gostei muito da sua resenha e confesso que bateu certa curiosidade pela leitura! Adoro quando conseguimos nos conectar com o livro a esse ponto e, principalmente, quando o autor nos faz sentir tanta coisa durante a leitura da trama! Fiquei curiosa para saber como Sabola consegue aprontar mesmo depois de sua morte...
    Beijos!
    Karla Samira
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi, Tudo bom?
    Não conhecia o livro mais parece ser ótimo, achei a capa muito bonita.
    Parabéns pela resenha, ficou mmuito boa.
    beijão.

    ResponderExcluir
  11. Oie! Tudo bem?

    Estou com um pouco de medo de realizar a leitura desse livro, mas não nego que estou bastante curiosa em relação ao que encontrarei nesse enredo então com certeza essa obra será uma das próximas que irei solicitar para a editora!

    Bjss

    ResponderExcluir
  12. Oi Rafa,
    Gostei bastante da sua resenha e do enredo do livro, mas infelizmente não me chamou muita atenção por não fazer meu estilo literário. Mas anoitei o nome dele, quem sabe um dia?

    Beijos,
    Letícia do Garota Perdida nos Livros

    ResponderExcluir
  13. Eu adorei a capa deste livro, mas não tinha parado para ver do que se tratava a história... E agora lendo sua resenha tô tipo "uau, preciso ler isso logo"... mega obrigada por ter falado dele por aqui!

    ResponderExcluir
  14. Oi, Rafa!
    Essa capa é bem macabra! rsrs... Fiquei curiosa para saber o que Sabola apronta.
    Quantas emoções você sentiu! A sensação deve ter sido maravilhosa. Adoro quando os livros trazem essa sensação.
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Nossa, o livro parece ser bem mais assustador do que vc passou, principalmente pela pela capa. rsrs
    Premissa interessante, sempre bom saber mais dos mitos nacionais, ainda mais se forem em uma versão estilo mais terror.
    Bjos!
    Por essas páginas

    ResponderExcluir
  16. Oi Rafa, bela resenha! Curti!

    Como é bom quando a gente encontra um livro no qual a gente pode, como você mesma disse, "vivenciar" a história, né? Agora, pra mim personagem que é vilão tem que fazer com que a gente sinta raiva dele, sim. Não tem essa de acabar não odiando o bandido, como aconteceu com você nesse livro, hehe.

    Pois bem, quero dizer que adorei tua resenha, assim como adoro tudo o que é postado nesse blog, por você, por toda a equipe, você são ótimos.

    Acho que este blog faz um trabalho muito bacana, incentivando a literatura, com resenhas muito bem feitas, uma melhor que a outra. Gosto muito de tudo o que leio aqui, e leio tudo com frequência. Toda semana estou acessando o blog pra conferir as novidades.

    Abraço, Dieison, do Rio Grande do Sul.

    ResponderExcluir
  17. Oii
    Apesar de suas boas opiniões pelo livro em sua resenha, eu sou totalmente medrosa e não leio terror não. Hahaha
    Acho que está sua inspiração só a meia noite veio por causa do gênero. =P

    Vícios e Literatura

    ResponderExcluir
  18. Olá
    Quando li que era terror, confesso que fiquei receosa por que sou medrosa demais. Mas lendo que tem mais a ver com a época da escravidão fiquei curiosa demais com o enredo. São estórias tocantes, pelo menos para mim tudo que lida com escravo. Fora que é uma viagem cultural que vamos aprender. Obrigada pela dica.beijis

    ResponderExcluir
  19. Oi rafa, que bacana ver que amou tanto esse livro. Eu adoro coisas que remetem a história do brasil, e fiquei super intrigada com esse, pois nunca tinha ouvido falar dele, espero poder ler e obrigada pela dica.

    ResponderExcluir
  20. Oiii,

    Eu nunca tinha ouvido falar nada do livro, mas achei muito interessante a premissa, apesar de ser um terror (o que eu não gosto), acho super valido estes livros que contam a nossa história, a base daquelas histórias que são do nosso país e que nos ouvíamos quando crianças, porque raramente eu vejo uma história que contenham os nossos seres misticos. Achei legal a escrita do autor te fazer gostar até mesmo do personagem que era verdadeiramente mal, e adorei saber que a história deixa aquele misto de emoções. Se um dia eu estiver com coragem para ler um terror este livro vai ser o primeiro da minha lista.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com/

    ResponderExcluir
  21. Já queria ler o livro!! Agora quero muito mais!! Amei a resenha!!

    ResponderExcluir
  22. Olá...
    Adorei sua resenha!
    Confesso que não conhecia a obra, mas, fiquei bastante interessada na leitura, tendo em vista seus excelentes comentários... Gostei do enredo e tenho certeza que irá me proporcionar uma excelente leitura.
    Dica anotada.
    Bjo

    ResponderExcluir
  23. Oiii!

    Fico feliz em saber que mesmo com a linguagem não sendo adequada você deu uma chance a obra e gostou bastante.
    Não conhecia o autor nem a obra e fiquei curiosa para fazer a leitura!
    Gostei da resenha!!

    Biejinhos

    ResponderExcluir
  24. Olá tudo bem?
    Eu li esse livro mês retrasado e gostei muito da escrita do autor. Descobri através de alguns comentários na minha resenha que o mesmo é um cineasta e que por isso as obras dele parecem roteiros prontos e realmente eu tenho que concordar com isso. Todo cenário que ele criou, misturando um período importante da nossa história com o folclore e ainda deu margem para o amor, um sentimento tão bonito e puro em um pano de fundo onde só havia dor e caos. Gostei muito da obra e fiquei com vontade de ler outros livros dele.

    beijinhos!

    ResponderExcluir
  25. Oi, Rafa!
    É muito bom quando terminamos um livro e temos a necessidade de comentar com alguém, pois significa que não foi apenas mais um, mas sim, um livro que nos tocou. Não o conhecia ainda, mas pretendo ler para poder discutir sobre ele com você.
    Beijos

    ResponderExcluir
  26. ADOREI A RESENHA ♥
    Estava um pouco receosa quando vi o post, pois ainda não li e infelizmente peguei spoiler em outra resenha, mas a sua só me deu aquela injeção de ânimo para iniciar a leitura.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  27. No momento não leria, mas achei a sua resenha maravilhosa. Poder vivenciar um livro é algo bem difícil, isso dó dá meritos para a leitura. Sobre a linguagem acho que foi um acerto essa escolha, torna acessivel pra um público maior. Obrigada pela resenha.
    Elisabete Silva

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua visita! Comentários construtivos são sempre bem-vindos!
Caso tenha um blog, deixe o link do mesmo junto de seu comentário para que possamos retribuir a visita! Ah, e sempre respondemos nossos leitores, clique em ''notifique-me'' caso tenha interesse em ler nossa resposta a seu comentário!

© RM Desing - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Renata Massa | Tema Base: Butlariz.
imagem-logo