Crítica: "Ainda Estou Aqui" de Marcelo Rubens Paiva

Título: Ainda Estou Aqui
Autor: Marcelo Rubens Paiva
Ano: 2015
Editora: Alfaguara
Número de páginas: 296
CompreAmazon


Sinopse: Trinta e cinco anos depois de Feliz ano velho, a luta de uma família pela verdade Eunice Paiva é uma mulher de muitas vidas. Casada com o deputado Rubens Paiva, esteve ao seu lado quando foi cassado e exilado, em 1964. Mãe de cinco filhos, passou a criá-los sozinha quando, em 1971, o marido foi preso por agentes da ditadura, a seguir torturado e morto. Em meio à dor, ela se reinventou. Voltou a estudar, tornou-se advogada, defensora dos direitos indígenas. Nunca chorou na frente das câmeras. Ao falar de Eunice, e de sua última luta, desta vez contra o Alzheimer, Marcelo Rubens Paiva fala também da memória, da infância e do filho. E mergulha num momento negro da história recente brasileira para contar — e tentar entender — o que de fato ocorreu com Rubens Paiva, seu pai, naquele janeiro de 1971.




Crítica: Olá, gente linda!!! Estou vindo aqui, no dia do meu aniversário, para resenhar para vocês esse livro incrível que mais uma vez a Tag Experiências Literárias me apresentou. Marcelo Rubens Paiva é um escritor maravilhoso, pois de forma bem simples consegue nos envolver na sua vida e nos contar todos os problemas pelos quais já passou. Na sua adolescência, por exemplo, ele sofreu um acidente que o deixou tetraplégico e lançou um livro que conta tudo sobre isso que se chama Feliz Ano Velho e eu já estou ansiosíssima para pode ler também. E por favor, não se assustem por esse ser um livro de não-ficção, pois a narrativa é tão fluida que a leitura é super rápida, apesar de dolorida.
   
Em Ainda Estou Aqui o autor escreve para contar a história de seus pais, pois tem medo que tudo se perca da memória da sua mãe que foi diagnosticada com Alzheimer. Quando ainda era criança, ao chegar em casa, ele a encontra tomada por "dedetizadores", o seu pai havia sido levado por dois deles e ele não sabia para onde, e dois dias depois sua mãe e sua irmã de 15 anos também são levadas, mas são soltas alguns dias depois. A partir daí o autor conta a história de seu pai, Rubens Paiva, que foi um dos desaparecidos da época da ditadura.
    
Marcelo, sua mãe Eunice e seus irmão, sofreram muito durante toda a vida, pois mesmo depois de vários anos, eles não conseguiam ter certeza sobre o que havia acontecido com Rubens Paiva, os militares alegavam que ele havia fugido com a ajuda de militantes quando ele estava sendo transferido, mas eles duvidavam que isso houvesse ocorrido pois ele nunca mais reapareceu.

“Tudo mentira. O alto escalão do governo sabia que era mentira. Jornalistas sabiam que era mentira. Menos a minha mãe, que queria acreditar que ele estava vivo, que precisava acreditar, e conheceu senadores que não serviam para nada, deputados que não legislavam, um poder corroído pelo autoritarismo, corrompido até a alma, juízes que não julgavam, tribunais que mentiam, um poder de fachada, uma mentira para dar legitimidade a uma ditadura e a milicos que mandavam e desmandavam e metiam medo, lia uma imprensa vaga, sob censura ou, pior, condescendente, via uma TV que se omitia, acovardava-se.” (PAIVA, 2015, p. 157/8).  

O foco principal é em Eunice Paiva e toda a sua busca pela justiça e sua batalha para sustentar seus cinco filhos. Sem a certidão de óbito do marido ela não conseguiu nem mexer nas economias da família. Ela então se forma em direito e se torna a advogada de vários amigos e com o tempo uma grande representante dos direitos indígenas, sem nunca se esquecer da sua principal motivação, a luta contra os torturadores da ditadura. 

Para mim, ela é um exemplo de mulher a ser seguida, guerreira, forte e batalhadora e sempre viveu para mostrar a todos que Eunice Paiva não se abateu e que ninguém conseguiu diminuir sua garra e vivacidade.

Mas se preparem, pois essa é uma leitura que me causou sensações desagradáveis, principalmente nas parte onde são descritas as torturas e nos depoimentos verídicos de pessoas que estavam no mesmo local que Rubens Paiva quando ele foi preso e torturado e conseguiram ouvir seus gritos de dor.
   
Super recomendo esse livro para todos os brasileiros que quiserem conhecer um pouco da história da ditadura contada por quem sofreu na pele seus malefícios. E sabe aquele seu amigo que queria uma intervenção militar? Indica esse livro para ele ler...

Beijos, gente! E muito obrigada por sempre estarem por aqui e comentarem sobre as minhas leituras.... 




        

16 comentários:

  1. Eu parei de assinar a TAG a algum tempinho, mas continuo me surpreendo com os livros maravilhosos que eles mandam, esse por exemplo, é um dos que vou procurar pra comprar por fora! Sua resenha me deu vontade de conhecer mais sobre o autor e o contexto do livro.

    ResponderExcluir
  2. Oi Ana, tudo bem ?
    Eu ja tinha lido de forma superficial sobre Feliz Ano Velho e não sabia que havia outro livro, proposta interessante né ?! Enredo forte, profundo...Tetraplégico e mãe com Alzheimer é realmente uma barra, pior ainda é sem conseguir mexer no $ e tendo filhos para sustentar.
    Achei bem interessante.
    Legal saber sobre a TAG que eu tbm não conhecia.
    Beijos
    www.estilo-gisele.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá
    Eu nao conhecia esse titulo, mas fiquei bem interessada depois de ler seus comentários e a premissa parece ser ótima. Achei a capa bem bonita, afinal. É um gênero que chama muito a minha atenção e pelo que pude compreender, os elementos são trabalhados de forma bem marcante diante das características centrais. Espero poder ler em breve!
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  4. Eita! AMO demais livros desse tema, mas meu psicológico não está deixando eu ler por enquanto esse tema, mas já anotei a dica para uma leitura próxima e fico feliz que você tenha gostado dele! =D
    Bjss

    ResponderExcluir
  5. Oi Ana, tudo bem?
    Acredito que nunca tenha lido algum livro que abordasse essa temática da ditadura e por se tratar de uma história de não-ficção, fiquei ainda mais interessada para conhecê-la. Creio que não deve ser uma leitura fácil por conta de algumas cenas, já que retrata um pouco das torturas injustas que as pessoas sofreram. Mas eu gostaria de saber um pouco mais a respeito e com certeza irei ler numa próxima oportunidade.

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
  6. Oi, apesar dos elogios tecidos ao autor, eu não leria a obra porque não gosto de coisas envolvendo a ditadura, e a história também não me cativou. Mas acredito que aqueles que são fãs irão curtir e aproveitar, e que bom que sua experiência tem sido boa em relação as obras lidas. Espero encontrar um livro que vá me incentivar a ler um trabalho dele, infelizmente ainda não foi dessa vez!
    Um beijo
    www.brookebells.com

    ResponderExcluir
  7. Nossa, o livro parece bem pesado. Só coisa ruim acontecendo hein? Gostei de saber que é uma história real sobre a ditadura, nunca li nada referente, e tenho muita curiosidade. Deve ser uma leitura bem "desagradável" mesmo. Não conhecia a obra, ou não lembro mesmo, valeu pela dica.
    E ah, feliz aniversário atrasado! :D
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  8. Li esse livro mas não gostei tanto quanto você. Eu esperava um enredo mais focado no Alzheimer, mas encontrei mesmo foi um livro com um grande conteúdo histórico a respeito da época da ditadura. Como não gosto de história e não tenho um estômago muito forte, não foi uma leitura muito legal para mim, embora tenha achado o livro bem intenso. Mas é realmente uma ótima dica pra presentear essas pessoas que acham uma intervenção militar uma boa ideia... Aff...

    ResponderExcluir
  9. Olá ♥
    Não conhecia o livro, mas falar sobre a Ditadura é algo que mexe comigo desde a escola nas aulas de estória. A premissa do livro é maravilhosa, e nos trás referencias histórias, mas acho que talvez a carga desse livro não seja para mim no momento. Acho que não aguentaria ler as partes de tortura eu me sentira mal e largaria o livro. Fiquei muito feliz que você tenha gostado da leitura, e sua resenha está maravilhosa, mas não é um tipo de leitura que me agrada . Beijos

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem? Não conhecia o livro, mas acho que o tema que traz é de suma importância. Por mais que não seja o tipo de leitura que estou atrás agora e que talvez não seja uma história tão leve para se ler no momento, é uma dica ótima e super anotada. Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Já vi outros livros desse autor, mas nunca li nada dele, realmente.

    É triste pensar que essas coisas aconteceram aqui no nosso quintal, pessoas desaparecendo, famílias sendo destruídas e crianças sendo torturadas... E tem gente que ainda pede a volta desse estado calamitoso e tenebroso!

    Ótima escolha de leitura, ótima resenha!

    Abraços!
    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  12. Olá Ana, tudo bem?

    Ainda não tive a oportunidade de ler nenhum livro do Marcelo Rubens Paiva, embora saiba que seus títulos são super bem cotados no mercado editorial. Este eu acabei perdendo a solicitação no blog em que sou colunista, então já viu, desespero hoje bate forte.

    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Apesar dos pontos ressaltados por você como fortes, eu leria o livro. Vi que ele traz um pouco de nossa história, do que muitos viveram para serem livres de um regime que não era o melhor. Conheço o autor mais ainda não tive oportunidade de ler esta obra resenhada, espero fazer isso muito em breve.

    ResponderExcluir
  14. Oi Ana Claudia, tudo bem?
    Já conhecia o Marcelo Rubens Paiva e o livro anterior dele, chamado "Feliz Ano Velho". Lendo a tua resenha e já tendo conhecimento desse livro, me pergunto como ainda tem gente com coragem de dizer que intervenção militar é uma boa ideia. Estou errada em querer dar uns tapas na cara dessa gente? É ignorância misturada com falta de empatia, viu?
    Dica mais que anotada.
    Abraços e beijos da Lady Trotsky...
    http://rillismo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Oi, tudo bem?

    Este livro estava entre minhas futuras leituras. Foi um daqueles que coloquei na lista por ter simplesmente gostado do título.

    Pesquisando mais a fundo, percebi que não é uma leitura que me agradaria muito, uma vez que não me adapto muito bem em enredos embasados em Guerra e muito menos Ditadura. E pela sua resenha, pude ter certeza que o livro me desagradaria totalmente, devido ao ato de você ter citado torturas. ):

    Infelizmente deixo a dica passar! Abraços.

    ResponderExcluir
  16. Oieee
    Essa é uma parte horrível dá nossa história.
    Essa mulher foi guerreira, pois não deve ter sido nada fácil passar por tudo o que ela é sua família passaram.
    Adorei sua resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua visita! Comentários construtivos são sempre bem-vindos!
Caso tenha um blog, deixe o link do mesmo junto de seu comentário para que possamos retribuir a visita! Ah, e sempre respondemos nossos leitores, clique em ''notifique-me'' caso tenha interesse em ler nossa resposta a seu comentário!

© RM Desing - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Renata Massa | Tema Base: Butlariz.
imagem-logo