Crítica: "A Louca da Casa" de Rosa Montero


Sinopse: Em ''A Louca da Casa'', a jornalista e ficcionista Rosa Montero fala da literatura, dos escritores com suas histórias e personagens, da imaginação e da narrativa ficcional. Mas aos poucos, para a surpresa de quem lê, a autora se oferece em espetáculo no ato de imaginar e criar uma narrativa literária com a sua própria biografia, e do mesmo modo vai revelando os segredos da corporação dos escritores. Surgem então os fingimentos de Goethe, a doença de fracasso de Walzer e a síndrome do sucesso de Capote, o drama do reconhecimento póstumo com Melville, o egoísmo de Tolstoi, a vaidade de Calvino, de modo que as entranhas da criação literária vão se tornando íntimas. Enfim, ficção, ou uma fabulação sobre os inventores de fábulas, a obra vai revelando como a vida de qualquer um de nós não funciona de modo diferente das narrativas ficcionais.

Crítica: Olá pessoal, dessa vez estou trazendo para vocês mais uma resenha de um livro fabuloso que a TAG experiências literárias me enviou neste mês de outubro e que me surpreendeu bastante. 

''A Louca da Casa'' é um romance de um gênero denominado metaliteratura, ou seja, é um livro que fala sobre o ato de escrever, e que têm como próprio tema outros livros, e isso é muito legal. No início achei que teria certa dificuldade de me envolver, até porque, para mim, é muito difícil ler algo que não tenha uma história para eu poder acompanhar. Essa foi uma experiência muito reflexiva, então demorei um pouco para concluir a leitura. 

Os temas abordados são muito interessantes e a autora varia de assuntos em todo o decorrer da narrativa onde temos capítulos falando sobre a literatura, sobre autores renomados, feminismo e a mulher na literatura, e até o anti-sexismo não fica de fora, na realidade os temas são tão diversos quanto controversos.
     
Tem dois trechos muito interessante do livro que vou deixar aqui e que define um pouco sobre a imensidão de idéias borbulhantes que é essa autora e serve para deixar um gostinho de quero mais em cada um de vocês:


''Falar de literatura, então, é falar da vida, da própria vida e da vida dos outros, da felicidade e da dor. E é também falar do amor, porque a paixão é o maior invento das nossas existências inventadas, a sombra de uma sombra, a pessoa adormecida que sonha que está sonhando.''

''(mas sempre achei que a coragem física está ligada a uma falta total de imaginação, uma incapacidade para representar mentalmente o perigo, e, portanto, quanto mais fantasioso você for, mais medo sentirá).''

Durante toda a leitura a autora mistura a realidade com a imaginação (a louca da casa) e nos conta a mesma história três vezes de formas diferentes e te deixa encucado sobre qual é a real história ocorrida. 

Achei o livro bem interessante e as várias histórias sobre M. (namorado, artista famoso, ao mesmo tempo alto e baixo, e de várias nacionalidades)  me fizeram rir bastante. As diversas histórias sobre os autores conhecidos e suas biografias me fizeram pensar sobre como o ser humano vive para alimentar seu ego, e sobre a importância de se escrever para enfrentar a morte e continuar vivendo mesmo quando seu corpo não estiver mais aqui. 

Esse foi um livro bem diferente para mim, hora eu estava amando a leitura, hora eu estava dormindo em cima do livro. Ainda estou na dúvida sobre quantas estrelas ele merece.
    
Eu queria muito trazer essa resenha para vocês pois esse não é um livro muito conhecido, e acho que nunca entraria em uma livraria e compraria ele apenas pela capa ou por ler a sinopse, por isso, sempre agradeço a TAG por me tirar da zona de conforto e me obrigar a ler coisas diferentes. A Louca da Casa me deu uma vontade enorme de me tornar escritora, de tentar superar a morte através de minhas palavras.
     
Então para quem ama literatura acho que devia mesmo tentar ler esse livro e se aventurar nessa louca da casa que é a nossa imaginação...

9 comentários:

  1. Acho que o único livro que li voltado para a escrita foi o "Sobre a Escrita" do Stephen King.
    A temática desse livro parece ser bem interessante, e essa coisa de sair da zona de conforto é o máximo!
    Mas admito... Sou leitora... Escritora, não rola! huahuahua
    Parabéns pela resenha!

    #Ana

    LiteraKaos!

    ResponderExcluir
  2. Olá
    Fiquei bem interessada nesse livro, acho bem interessante isso de livro que fala de livros e o que você falou da história sendo contada três vezes só me deixou ainda mais curiosa, não conhecia o livro e já vou pesquisar mais, dica super anotada

    ResponderExcluir
  3. Oi Ana... realmente eu não conhecia esse livro, adorei a sua resenha e a sua sinceridade. Com certeza ele não é um livro que me atrai também em primeiro momento e fiquei um tanto quanto na dúvida se ele seria um livro que eu leria, por conta disso, acho que vou fazer mais buscas sobre ele <3

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  4. Oi, Ana
    Que linda resenha! Ainda não conhecia o livro, mas acho que se tivesse em uma livraria eu já me sentiria atraída pela capa, pois gostei muito.
    Gostei da história em si, parece ser boa, apesar de algumas ressalvas. Como não é um livro muito conhecido, gostei bastante de ver sua resenha aqui.

    Blog Livros, vamos devorá-los

    ResponderExcluir
  5. Oie!
    Achei bem bacana, mas seria uma leitura bem lenta pra mim também, pela ausência de uma história.
    Quanto a TAG experiências literárias eu acho a ideia super legal, mas acho o valor hiper salgado para livros que não são do meu gosto. O bacana é que tem diversos outros surgindo com a ideia parecida.
    bj
    www.viciadosemleitura.blog.br

    ResponderExcluir
  6. Olá,que legal,tenho um professor na faculdade que ele sempre nos indica a ler livros de metaleitura mas eu nunca tinha procurado ou achado nenhum assim então sua dica é super valida, irei ate comentar com ele para ver se ele conhece a obra

    ResponderExcluir
  7. Oi Ana,
    Achei interessante o livro é como aborda a metaleitura, acho interessante o contexto e sempre que tenho oportunidade, procuro ler. Sobre a leitura ser mais lenta, acho válido, por não ser uma estrutura que já está habituada, é melhor mais compreender e entender.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  8. Olá Ana! Tudo bem?

    Também tenho dificuldades quando inicio uma leitura assim, sem uma história direta ou personagens aos quais me apegar. Mas gosto mesmo assim, pois a gente acaba de fato se permitindo refletir sobre o que o livro aborda, sem contar que é conhecimento adquirido, então, vale a pena.

    Beijo

    Leitoras Inquietas

    ResponderExcluir
  9. Oi Ana, sua linda, tudo bem?
    É sempre bom sair da zona de conforto. Já li alguns livros que não esperava nada e me surpreendi muito positivamente. Confesso que a história não chamou minha atenção, mas pelos quotes que colocou aprece ser muito interessante. Então, é uma boa dica para quem curte o gênero. Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua visita! Comentários construtivos são sempre bem-vindos!
Caso tenha um blog, deixe o link do mesmo junto de seu comentário para que possamos retribuir a visita! Ah, e sempre respondemos nossos leitores, clique em ''notifique-me'' caso tenha interesse em ler nossa resposta a seu comentário!

© RM Desing - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Renata Massa | Tema Base: Butlariz.
imagem-logo