Crítica: "O Verão em que Tudo Mudou" de Vinícius Grossos, Gabriela Freitas e Thais Wandrofski

Título: O Verão em que Tudo Mudou
Autor: Vinícius Grossos, Gabriela Freitas e Thais Wandrofski
Ano: 2017
Editora: Faro Editorial
Número de páginas: 304
CompreSaraivaAmazon

SinopseA vida às vezes guarda inúmeras surpresas. Sem avisar, ela muda de direção. Na hora você não entende, já que “tudo parecia estar bem”. Então percebe que havia sinais.... um sentimento, uma lembrança, um fato que parecia bobo, mas não era... É quando a gente entende que todo o caminho estava errado, que nada fazia muito sentido. Pelo menos, pra você. Fred sente-se absolutamente comum diante de um mundo com tanta gente especial. Lavínia, ao alcançar aquilo que parecia um sonho, algo pelo qual tanto lutou descobre que a nova conquista nunca foi realmente um desejo seu. E Sol, sem perceber, vive sempre à espreita, desconfiada, em constante alerta, tentando controlar tudo ao redor, na esperança de não se ferir novamente... Mas que controle podemos ter diante de tudo? Três jovens, de cidades distantes, com diferentes realidades, descobrindo o mundo a partir de suas próprias escolhas: complexo, difícil, libertador. Três histórias que se cruzam, no exato momento em que se coloca, diante de cada uma delas, uma exigência capaz de definir algo para o resto de suas vidas.

Séries: The Handmaid's Tale

ATENÇÃO: Esse seriado possui cenas de violência e cenas de sexo e nudez


The Handmaid’s Tale é uma série de televisão criada por Bruce Miler com base no romance (O Conto da Aia) de Margaret Atwood. A série foi encomendada pelo serviço de streaming Hulu, a mesma foi finalizada no final de 2016 e a sua estreia foi em abril de 2017. The Handmaid’s Tale é composta por dez episódios com uma média de cinquenta minutos cada, e em seus primeiros três episódios obteve recordes de audiência.

Primeiras Impressões: ''Os Escolhidos'' de Mitchelly Melo (Autora Parceira)

Olá gente linda!!! ♥
Estou aqui mais uma vez para trazer as primeiras impressões de um livro da nossa autora parceira Mithelle Melo. A autora disponibilizou os dois primeiros capítulos para o nosso blog para que pudéssemos dar nossa opinião sobre o início da leitura.
E para vocês se situarem um pouquinho aí vai a sinopse do livro:

"Uma descoberta pode mudar tudo. Liz, vivia uma vida normal na cidadezinha de Heaven Valley. Aos 18 anos, seu tempo era dividido entre o trabalho de garçonete e a escola. Tudo isso mudou completamente ao conhecer John, um jovem misterioso, e descobrir que tudo o que sabia sobre si mesma e sua família não era verdade. Ao entrar nessa nova realidade de seres com poderes e criaturas mágicas, Liz terá que lutar por si "

Crítica: ''A Mensageira da Morte'' de Vivianne Sophie



Título: A Mensageira da Morte
Autor: Vivianne Sophie
Ano: 2016
Editora: Multifoco
Número de páginas: 310
Compre: Loja Multifoco, Skoob

SinopseAlana Price nunca imaginou que sua vida se tornaria tão complicada. Uma cidade encoberta de brumas, assassinatos esporádicos que estão sempre próximos a ela. E uma voz sussurrando em seu ouvido, incitando-a desejar. Quando uma maldição recaí em sua vida, só há uma saída para fugir dela: A morte.Percorrendo vários lugares do Egito, Alana enfrentará muitos desafios, tumbas egípcias, templos de areias e várias noites do deserto, é só o começo da sua jornada por redenção. A Mensageira da Morte é o primeiro livro de estreia da autora e traz uma gama de mistérios, intricados a magia e profecias antigas. Tudo isso ambientado no cenário atual e escrito com muito entusiasmo pela autora.

Crítica: "A Garota do Lago" de Charlie Donlea

Título: A Garota do Lago
Autor: Charlie Donlea
Ano: 2017
Editora: Faro Editorial
Número de páginas: 296
CompreSaraivaAmazon

Sinopse: “ALGUNS LUGARES PARECEM BELOS DEMAIS PARA SEREM TOCADOS PELO HORROR... Summit Lake, uma pequena cidade entre montanhas, é esse tipo de lugar, bucólico e com encantadoras casas dispostas à beira de um longo trecho de água intocada.
Duas semanas atrás, a estudante de direito Becca Eckersley foi brutalmente assassinada em uma dessas casas. Filha de um poderoso advogado, Becca estava no auge de sua vida. Atraída instintivamente pela notícia, a repórter Kelsey Castle vai até a cidade para investigar o caso. E LOGO SE ESTABELECE UMA CONEXÃO ÍNTIMA QUANDO UM VIVO CAMINHA NAS MESMAS PEGADAS DOS MORTOS...E enquanto descobre sobre as amizades de Becca, sua vida amorosa e os segredos que ela guardava, a repórter fica cada vez mais convencida de que a verdade sobre o que aconteceu com Becca pode ser a chave para superar as marcas sombrias de seu próprio passado...”

Crítica: "Assim na Terra Como Embaixo da Terra" de Ana Paula Maia

Título: Assim na Terra Como Embaixo da Terra
Autor: Ana Paula Maia
Ano: 2017
Editora: Record
Número de páginas: 144
CompreAmericanasAmazon

Sinopse: "Uma colônia penal isolada – um terreno com um histórico tenebroso de assassinato e tortura de escravos –, construída para ser um modelo de detenção do qual preso nenhum fugiria, torna-se campo de extermínio. Espécie de capitão do mato/carcereiro, Melquíades é o algoz dos presos, caçando e matando-os como animais, apenas por satisfação pessoal. Os presos, cada qual com sua história, estão sempre planejando a própria fuga, sem saber se vão acabar mortos pelos guardas ou pelo que os espera do lado de fora da Colônia."

Crítica: "A ponte" de Rosana Ouriques (Autora parceira)


Título: Mundos Paralelos - A ponte -
Autor: Rosana Ouriques
Ano: 2017
Editora: Insular
Número de páginas: 226
CompreInsular


Sinopse: “A ponte era o único caminho que conduzia aos mundos paralelos, somente os filhos do ar é que podiam ir a estes mundos sem ter, necessariamente, que cruzar a ponte. Todos os outros filhos dos deuses e os demais seres precisavam atravessá-la. Era uma ponte antiquíssima, construída pelos primeiros deuses. Era feita de troncos de uma árvore que só crescia no mundo superior. Havia outras árvores igualmente únicas e poderosas; esta, da qual se construiu a ponte, era chamada de árvore da vida e os pregos utilizados para pregar estes troncos gigantescos foram produzidos a partir do material do rio de metal derretido, as cordas que a amarravam eram extremamente resistentes, tinham sido tecidas com os cabelos de uma antiga deusa da Terra Sombria. O que separava os mundos paralelos era um tenebroso abismo, não era possível visualizar o seu fundo, visto que era infindavelmente profundo onde corria um rio de águas amargas. Somente poderia chegar a esta ponte quem estivesse nos domínios dos mundos superior ou inferior, mas os habitantes do mundo inferior precisavam de autorização dos deuses para atravessar a ponte e ter acesso aos mundos paralelos. Já os seres destes mundos paralelos não poderiam, de maneira alguma, chegar até lá, o portal era intransponível e não era visível a humanos. Agora os filhos do fogo teriam de ir até lá, fazer a perigosa travessia e chegar ao mundo paralelo onde Angak vivia e impedir que os seres do mundo inferior a alcançassem. Isso era imprescindível.” (Trecho do livro) 

Séries: American Gods

ATENÇÃO: A resenha contém spoilers.


American Gods (Deuses americanos) serie baseada no romance de Neil Gaiman publicado em 2001 onde narra como Shadow Moon (o nome mais estranho que você vai ver na face da terra) foi cai no meio de guerra entre deuses.

Crítica: "A volta ao mundo em 80 dias" de Jules Verne


Título: A volta do mundo em 80 dias
Autor: Jules Verne
Ano: 2017
Ano de lançamento: 1872
Editora: Zahar
Número de páginas: 242
CompreSaraivaAmazonAmericanasTravessa

Sinopse: "Um dos mais conhecidos e adorados romances de Jules Verne. Londres, 1872. Ao sentir-se desafiado por seus companheiros de clube, o cavalheiro inglês, Phileas Fogg, aposta que é capaz de dar uma volta ao mundo em apenas 80 dias, arriscando todo o seu dinheiro. Homem misterioso, de poucas palavras e rotina inabalável, Fogg inicia a viagem no mesmo dia, levando consigo apenas seu empregado recém-contratado, o francês Jean Passepartout e uma bolsa. A volta ao Mundo em 80 Dias é uma incrível aventura pelos mais diversos locais, culturas e situações. De Londres a Yokohama e de lá para Nova York, passando por Mumbai, Hong Kong, São Francisco e outras, em barcos, elefantes, trens e trenós a vela, Verne leva nossos heróis, aos quais se juntarão o Inspetor Fix e a deslumbrante Monique Laroche, a enfrentar tempestades marítimas, fanáticos religiosos, sabotagens e ataques de índios e de lobos famintos. Essa edição traz o texto integral de Verne, apresentação de Joca Reiners Terron, tradução de André Telles, cerca de 30 ilustrações originais e mais de 200 notas, além de cronologia de vida e obra do autor. A versão impressa apresenta ainda capa dura e acabamento de luxo."

Crítica: "Fábula de Viagem no Tempo: Por Amélia, a Gata" de Hugo Dalmon


Título: Fábula de Viagem no Tempo: Por Amélia, a Gata
Autor: Hugo Dalmon
Ano: 2017
Editora: Multifoco
Número de páginas: 154
CompreMultifoco



Sinopse"Sou uma gata, mas estou presa no corpo de uma humana" (Amélia, a gata)

Crítica: "O Escravo de Capela" de Marcos DeBrito


Título: O Escravo de Capela
Autor: Marcos DeBrito
Ano: 2017
Editora: Faro Editorial
Número de páginas: 288
CompreSaraivaAmazon

Sinopse: "Durante a cruel época escravocrata do Brasil Colônia, histórias aterrorizantes baseadas em crenças africanas e portuguesas deram origem a algumas das lendas mais populares de nosso folclore. Com o passar dos séculos, o horror de mitos assustadores foi sendo substituído por versões mais brandas. Em “O Escravo de Capela”, uma de nossas fábulas foi recriada desde a origem. Partindo de registros históricos para reconstruir sua mitologia de forma adulta, o autor criou uma narrativa tenebrosa de vingança com elementos mais reais e perversos. Aqui, o capuz avermelhado, sua marca mais conhecida, é deixado de lado para que o rosto de um escravo-cadáver seja encoberto pelo sudário ensanguentado de sua morte. Uma obra para reencontrar o medo perdido da lenda original e ver ressurgir um mito nacional de forma mais assustadora, em uma trama mórbida repleta de surpresas e reviravoltas."

Crítica: "Anacrônico" de Antony Magalhães (Editora Parceira)


Título: Anacrônico
Autor: Antony Magalhães

Ano: 2017
Editora: Luva Editora
Número de páginas: 252


Sinopse: "Em um Brasil pós-guerra, a escravidão é um negócio lucrativo, o ar é tóxico, as temperaturas são altas e as pessoas vivem em cidades tecnológicas protegidas por redomas de vidro. Nessa sociedade que passa seu tempo entorpecida com drogas fornecidas pelo governo, vive a jovem escrava Maria. Comprada por uma família poderosa quando criança, aos poucos ela demonstra ser uma escrava diferente. Ela quer saber mais sobre seu passado e poder controlar seu futuro.Maria quer vingança…"

Séries: Penny Dreadful

ATENÇÃO: A resenha contém spoilers.


Para melhor interpretação da serie escolhida da resenha de hoje vamos primeiro compreender seu contexto histórico, já que a mesma esta ligada nos máximos e mínimos detalhes a esse contexto.

Crítica: "As garotas" de Emma Cline



Título: As garotas
Autor: Emma Cline

Ano: 2017
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 336
CompreTravessaCulturaAmazon

Sinopse: "No final da década de 1960, a jovem Evie Boyd vive sozinha com a mãe no norte da Califórnia. Aos quatorze anos, imersa em inúmeras questões de autoaceitação, ela se sente muito desconfortável com o próprio corpo e tem apenas uma pessoa com quem contar: Connie, sua amiga de infância. No início do verão, uma briga faz com que as duas se afastem, e Evie encontra um novo grupo: garotas que demonstram extrema liberdade, usam roupas desleixadas e emanam uma atmosfera de abandono que a deixa fascinada. A jovem logo percebe que já está sob o poder e o domínio de Suzanne, a mais velha do grupo, e acaba entrando em um culto sombrio, liderado pelo carismático Russell Hadrick. O rancho do grupo é um lugar estranho e decadente, mas, aos olhos da adolescente, parece exótico, com uma energia singular. Evie descobre que as garotas cozinham, limpam e prestam até mesmo serviços sexuais para Russell, que proclama um desejo de libertar as pessoas do sistema. Evie quer apenas ser aceita pelos outros integrantes, principalmente por Suzanne. É sua chance de se sentir amada e pertencente a algo. Conforme sua obsessão por Suzanne se intensifica, ela não percebe que se aproxima de uma violência inacreditável. Contada por Evie já adulta e ainda abalada, a narrativa é um impressionante retrato de garotas que se tornam mulheres.Denso e de ritmo surpreendente, o romance de estreia de Emma Cline é escrito com precisão e perspicácia ao construir os perfis psicológicos dos personagens. As garotas aborda mais que uma noite de violência – é sobretudo um relato do mal que causamos a nós mesmos e aos outros na ânsia por pertencimento e aceitação."


© RM Desing - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Renata Massa | Tema Base: Butlariz.
imagem-logo